Centro Cultural Fortaleza - Artes Cênicas Centro Cultural Fortaleza - Artes Cênicas

Espetáculos de teatro, dança, circo etc., destinados ao público adulto.

 

ARTES CÊNICAS

SETEMBRO/2017

 

FESTIVAL INTERNACIONAL MESTRE PEDRO BOCA RICA DE

TEATRO DE BONECO – FIB

 

Dia 19, terça-feira, das 10h às 13h, e 19h às 20h

 

Para comemorar o aniversário de 80 anos do multiartista Mestre Boca Rica, nascido em 16 de novembro de 1936, o festival apresentará 10 grupos, envolvendo em torno de 100 artistas. Serão dois grupos nacionais, dois internacionais e seis grupos cearenses com apresentações em três cidades: Ocara, onde nasceu Pedro Boca

Rica, Fortaleza onde ele viveu e mostrou sua arte e em Juazeiro do Norte.
Pedro dos Santos de Oliveira morreu jovem, em 28 de março de 1991, vítima de câncer. Com 55 anos, o Mestre, que ganhou o apelido em razão de ter alguns dentes superiores revestidos de ouro, formou artistas na família de sangue e na da arte e tem sua obra reverenciada em museus do mundo, como Estados Unidos da América, Japão, Alemanha, França e outros.

 

No Centro Cultural do Banco do Nordeste em Fortaleza, o Festival apresenta a seguinte programação:

 

Das 10h às 12h:

 

1) Solenidade de Abertura - Convidados: Ministério da Cultura, Banco do Nordeste / Centro Cultural BNB, Teatro da Boca Rica, Prefeitura Municipal de Ocara / Secretaria da Cultura, Secretaria da Cultura do Estado do Ceará / Centro Dragão do Mar, Prefeitura Municipal de Juazeiro / Secretaria da Cultura, Casa Amarela Eusélio

Oliveira da UFC.

 

2) Banda de Música: Boi Tungão. Homenagem ao Mestre Pedro Boca Rica. Autoria de João Victor.

 

3) Seminário Mestre Pedro Boca Rica: entre afetos, memórias e criações - Convidados: Rosemberg Cariri, Oswald Barroso, Halen Oliveira dos Santos, Wagner Oliveira dos Santos (Ocara) e Mestre Boi Coração (Ocara).

Mediação: Tereza Tavares (Diretora da Fundação Raimundo Fagner. Cantora e atriz do Grita / Boi Tungão com Pedro Boca Rica)

Das 12h às 13h e das 19h às 20h: Espetáculo

 

*Projeto Apoiado pelo Edital Lei Rouanet BNB

 

PROGRAMA ATO COMPACTO

 

Mostra de Esquetes do Festival de Esquetes da Cia. Teatral

Acontece (FECTA)

 

Dia 06, quarta, às 18h

 

Apresentação das esquetes que foram destaque no 13º Festival de Esquetes da Cia. Teatral Acontece (Fecta): “Ou tudo ou nada” (1º Lugar Júri Oficial), do Grupo Zona II; “Toda palavra é reciclada” (2º Lugar Júri Oficial), com Grupo Gatec; “Cabeças poder bananas” (3º Lugar Júri Oficial), Grupo Cena Fórum; e “Viúva de um marido vivo” (1º Lugar Júri Popular), da Cia. Dhimahi de Teatro. 60 min. Classificação: 16 anos.

 

Viúva de um marido vivo – Cia. Dhimahi de Teatro - Fortaleza/CE

Raimunda, 83 anos, conta suas memórias para a neta. A história de seu casamento, do nascimento e criação de suas filhas e filhos, e do grande amor de sua vida. Histórias que vão costurando o presente e o passado, enquanto comédia e drama se entrelaçam. Classificação 10 anos.

 

Cabeças poder bananas – Grupo cena Fórum - Caucaia/CE

A pátria pare mais um filho mesmo sem a sua vontade, “Cabeças poder bananas” carrega uma mistura de ritmos surgidos das periferias brasileiras, introduzindo todos os que falam das relações políticas, econômicas e cultural que o país vivencia. Classificação: 16 anos.

 

Toda palavra é reciclada – Grupo Gatec - Cascavel/CE

Quatro personagens compartilham sua formulação estética do Teatro do Absurdo enquanto poética das imagens cotidianas que alcancem os desafios existenciais da incomunicabilidade, da solidão e da finitude. Classificação: livre.

 

Ou tudo ou nada – Grupo Zona II - Fortaleza/CE

Um humilde pescador sai para o mar, como faz todos os dias. Mas ao pescar um animal fantástico e devolvê-lo à água, sua rotina se transforma graças a sua mulher, que vislumbra a possibilidade de mudar de vida. Motivado por ela, o pescador mergulha no desejo cíclico de sua mulher em busca de tudo ou nada. Classificação: livre.

 

TEATRO

 

AQUELAS – uma dieta para caber no mundo

Com Juliana Veras e Monique Cardoso

 

Dias 08, 14 e 15, quinta e sextas, às 18h

 

A partir de um processo colaborativo de construção, o espetáculo “Aquelas - uma dieta para caber no mundo”, grita as lutas das mulheres por seus direitos e autonomia de suas próprias vidas. Partindo de uma reflexão sobre a violência contra a mulher na região do Cariri, “Aquelas...” rompe as barreiras geográficas e ganha caráter universal, nos fazendo ruminar as relações sociais e culturais de gênero. O espetáculo parte da pessoalidade das intérpretes Monique Cardoso e Juliana Veras, passando por vidas e histórias nas quais a misoginia nos apresenta fatos absurdos. A violência cotidiana tão naturalizada, na qual o ser mulher é ficar frente a frente diariamente com a morte, seja na fila de uma clínica clandestina, seja ao dormir em uma cama ao lado do seu agressor-assassino.

A encenação brutalmente delicada de Murillo Ramos, instaura um jogo cínico e cúmplice com a plateia, através de imagens, objetos e músicas, transformados em narrativa, dentro de um jogo cruel. Uma dieta diária para caber no mundo. Direção: Murillo Ramos. 60 min. Classificação: 16 anos.

 

Eu vim pra dizer que te amo

Coletivo Arremate de Teatro

 

Dias 21 e 22, quinta e sexta, às 18h

 

"Eu vim pra dizer que te amo", montagem do Coletivo Arremate de Teatro (Fortaleza/CE), é uma poética abordagem teatral sobre a depressão, transitando por temas como os abismos da convivência, o amor e o suicídio. A cena convida à reflexão direta sobre tais questões, numa visita aos anos 1990, embalada por música, diálogo e poesia. Em uma cidade como a nossa, com ruas e prédios como os nossos, quatro pessoas como nós vivem relações que se revelam complicadas. Como podem ser as nossas relações. O receio de encarar o olhar do outro faz com que os personagens Davi, Inês, Beatriz e Magnólia se percam numa teia de mal-entendidos e expectativas. Entrelaçados por coincidências de tempo e espaço, eles vivem uma delicada trama na qual a falta de diálogo sincero provoca dúvidas, certezas e afetos equivocados. Texto, encenação e música: Juliana Veras. 60 minutos. Classificação: 14 anos.

 

A Isca

Com Edivaldo Ferrer

 

Dias 28 e 29, quinta e sexta, às 18h

 

1943. Em plena noite, um navio zarpa em alto mar com um grupo de pescadores. Ao comando do capitão, os tripulantes Nestor, Mantêga e Sereno seguem a bordo de uma grande aventura que tem o riso e a crítica como pano de fundo. Uma velha matéria de jornal e um penico - que é signo e extensão do corpo do ator - são o ponto de partida para um mergulho nas surpresas, paixões, alegrias e tristezas presentes na narrativa. Direção: Edivaldo Ferrer. 40 min. Classificação: Livre.