Centro Cultural Fortaleza - Cinema Centro Cultural Fortaleza - Cinema

CINEMA
NOVEMBRO/2017

 

CINE CEARÁ ITINERANTE

 

Dia 07 – CCBNB-Fortaleza, de 14h às 15h30

Dia 08 – CCBNB-Fortaleza, de 14h às 17h

Dia 09 – CCBNB-Fortaleza, de 13h às 16h30

Dia 10 – CCBNB-Fortaleza, de 14h às 17h

 

O Cine Ceará Itinerante foi criado em 1999 e neste ano exibirá 37 filmes em três cidades: Fortaleza, Juazeiro do Norte e Sousa/PB, nas três sedes do Centro Cultural Banco do Nordeste. As exibições, completamente gratuitas, contarão com os filmes da Mostra Nacional de Curtas e da Mostra Olhar do Ceará. A curadoria da Mostra Olhar do

Ceará, nesta edição, teve por motivação fundamental expressar uma heterogeneidade de formas e desejos na relação com o cinema. Para Wolney Oliveira, diretor do Cine Ceará, o projeto é importante para democratizar a sétima arte. “Precisamos disseminar o cinema em nossa cidade, mostrar que não há barreiras sociais, nem culturais, tampouco geográficas para apreciar um bom filme”, avaliou.

 

 

CINECLUBE

 

Mostra Negritude em Cena – Consciência Negra

 

No dia 20 de novembro é celebrado no Brasil o Dia Nacional da Consciência Negra, data estabelecida em 2011, e que é dedicada à reflexão e discussão sobre a condição social das pessoas negras na sociedade brasileira. Entendendo a importância da questão, o

Centro Cultural BNB, através do cineclube convida a tod@s para a Mostra Negritude em Cena – Consciência Negra, em que veremos através de três filmes um pouco da cultura, da luta e da força do povo negro. Venha participar e convide seus amigos!

 

A Negação do Brasil

Dia 04, sábado, às 10h30

 

O documentário é uma viagem na história da telenovela no Brasil e, particularmente, uma análise do papel nelas atribuído aos atores negros, que sempre representam personagens mais estereotipados e negativos. Baseado em suas memórias e em fortes evidências de pesquisas, o diretor aponta as influências das telenovelas nos processos de identidade étnica dos afro-brasileiros e faz um manifesto pela incorporação positiva do negro nas imagens televisivas do país.

A Negação do Brasil, Brasil, 2000. Direção: Joel Zito Araújo. Colorido.

Documentário. Livre. 91 min.

 

Faça a coisa certa

Dia 18, sábado, às 10h30

 

Sal (Danny Aiello), um ítalo-americano, é dono de uma pizzaria em Bedford-Stuyvesant, Brooklyn. Com predominância de negros e latinos, é uma das áreas mais pobres de Nova York. Ele é um cara boa praça, que comanda a pizzaria juntamente com Vito (Richard Edson) e Pino (John Turturro), seus filhos, além de ser ajudado por

Mookie (Spike Lee). Sal decora seu estabelecimento com fotografias de ídolos ítalo-americanos dos esportes e do cinema, o que desagrada sua freguesia. No dia mais quente do ano, Buggin’ Out (Giancarlo Esposito), o ativista local, vai até lá para comer uma fatia de pizza e reclama por não existirem negros na “Parede da Fama”. Este incidente trivial é o ponto de partida para um efeito dominó, que não terminará bem. Faça a coisa certa. EUA, 1989. Diretor: Spike Lee. Drama.

 

A vida acima de tudo

Dia 25, sábado, às 10h30

 

Em uma pequena vila nos arredores de Joanesburgo, África do Sul, a vida, apesar de dura, é levada com orgulho e as tradições com rigor. Chanda (Khomotso Manyaka) é uma menina de 12 anos cuja inteligência e sensatez faz prever um futuro auspicioso. Porém, tudo se transforma quando a sua irmã recém-nascida morre e a sua mãe, inconsolável, entra em depressão profunda e foge. Sem ninguém para cuidar da família, Chanda é obrigada a deixar a escola para cuidar dos seus dois irmãos ainda pequenos. Com o passar do tempo, percebe que os vizinhos alteraram drasticamente a forma como lidavam com ela e com a sua família e que se contam boatos cuja explicação ela nunca chega a perceber. Suspeitando que tudo se deve à doença da mãe e à morte da irmã, Chanda decide enfrentar as crenças e preconceitos da comunidade e partir em busca da progenitora. Considerado pelo crítico Roger Ebert entre os 10 melhores filmes estrangeiros de 2010. A vida acima de tudo.

África do Sul, Alemanha, 2010. Direção: Oliver Schmitz. Colorido. Drama. 16 anos. 106 min.