Parcerias e Conteúdos para Micro e Pequenas Empresas Parcerias e Conteúdos para Micro e Pequenas Empresas

Conte com a nossa parceria para empreender e fazer grandes negócios

Ser parceiro das micro e pequenas empresas é mais do que oferecer oportunidade para desenvolver o setor. Por isso, o Banco do Nordeste também disponibiliza conhecimento em forma de cartilhas, relatórios e guias que potencializam a especialização do seu negócio e o aprimoramento contínuo da sua atividade produtiva. Conte com a nossa parceria para ir cada vez mais longe.

10 Passos para a boa gestão empresarial de micro e pequenas empresas

Em sua segunda edição, a cartilha “10 Passos para a boa gestão empresarial de micro e pequenas empresas”, revisada e atualizada, se propõe a contribuir para a boa gestão das micro e pequenas empresas. Seus conteúdos incluem conceitos, estratégias e ferramentas práticas de gestão, destacando-se o Plano de Negócios.
Em especial, o capítulo “Cenários de negócios” é dedicado a analisar o cenário da pandemia da Covid-19, no qual as empresas vêm sofrendo fortes impactos que refletem os efeitos e convida a refletir, aprender e praticar as lições que as contingências podem nos ensinar.
 
A cartilha se encerra apresentando as formas de acesso ao crédito do Banco do Nordeste. Ressalta as linhas de crédito e as condições especiais do BNB, lembrando da importância do crédito para a sobrevivência, o fortalecimento e o crescimento da empresa; do suprimento das necessidades de caixa para a sustentação da cadeia de valor do negócio e a manutenção da liquidez da empresa.
 
Veja, abaixo, os temas abordados:

Apresentação Institucional MPE

Veja todas as informções relevantes da Atuação do Banco do Nordeste no Segmento MPE divulgadas na Apresdentação Institucional MPE.

Dicas Sebrae

O Banco do Nordeste e o Sebrae possuem um acordo de cooperação técnica que visa ao compartilhamento de informações, apoio à inovação, fortalecimento da capacidade empresarial e da competitividade, especialmente para as micro e pequenas empresas (MPE), por meio de instrumentos de capacitação técnica e gerencial e de ações direcionadas à facilitação e ampliação do acesso ao crédito e aos serviços financeiros, além de outras atividades correlatas.

Com uma parceria dessas, a sua micro e pequena empresa só tem a ganhar. Conheça alguns produtos e Serviços do Sebrae.

Fórum Permanente

O Banco do Nordeste é membro do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, que tem o objetivo de orientar e assessorar na formulação e coordenação da política nacional de desenvolvimento das MPEs.

Composto por órgãos governamentais, entidades de representação empresarial habilitadas e por várias instituições de apoio ao segmento, o Fórum é um importante espaço de debates e de conjugação de esforços entre o Governo e o setor privado para a consecução de medidas e políticas mais adequadas às microempresas e empresas de pequeno porte.

No Fórum, há o Programa de Aproximação Banco - Empresa, que discute políticas e ações que facilitam o acesso das microempresas e empresas de pequeno porte aos bancos públicos oficiais.

Relatório MPE

O Relatório MPE apresenta especificamente os resultados da atuação do Banco do Nordeste junto às micro e pequenas empresas na forma de números que consolidaram as contratações do banco, além de destacar as principais ações colocadas em prática para o aprimoramento do atendimento às necessidades de crédito do segmento.

O referido documento destaca o apoio à inovação e às fontes alternativas de energia como vetores da competitividade; o estímulo do suporte do crédito às franquias; as parcerias estratégicas; e a importância do atendimento especializado.

É possível verificar avanços alcançados pelo Banco do Nordeste, relacionados às políticas de atendimento ao segmento, aprimoramento dos serviços bancários, melhoria contínua dos processos e modernização dos canais de atendimento. É apresentada, também, a edição do Prêmio BNB MPE, que reconhece o talento do empreendedor da região no segmento de MPE, além de apresentar a importância da nossa parceria.

No relatório, são adotadas as premissas de apoio do crédito, via programas adequados ao segmento, além da promoção do desenvolvimento sustentável, a ampliação e o fortalecimento de parcerias estratégicas, o apoio à inovação e o estímulo à capacitação.

Consulte abaixo os relatórios

 

Artigos

Voltar

Os negócios nos tempos de coronavírus

                                                                                                                                                                    *Demóstenes Moreira de Farias
 
A forma como o coronavírus se alastrou pelo mundo transformou o comportamento e impactou a economia de vários países mundo afora. Inclusive no Brasil, mudou radicalmente o cenário dos negócios. A pandemia surpreendeu os empresários, articulistas e futuristas do mundo inteiro.
A situação está posta e é necessário encarar a realidade. Os reflexos da pandemia nos negócios constituem uma verdadeira prova de fogo para ver até que ponto a empresa é “ágil e antifrágil”. Os empresários de todos os portes anseiam por respostas práticas e alternativas de saída.
Não vamos nos iludir: não vai ser fácil para nenhuma empresa o enfrentamento da crise. Conforme a atividade econômica e o modelo de negócios, algumas empresas sofrerão mais, outras menos. Cumpre-se reconhecer que as receitas vão se reduzir e, em muitos casos, zerar. É honesto dizer, também, que não há receita de bolo. 
De todo modo, este artigo espera trazer alguns insights que sejam úteis para despertar a reflexão e a busca por saídas, lembrando que cada empresa deve construir as suas próprias soluções, que sejam adequadas à sua atividade econômica, ao modelo de negócios, ao estilo de seus líderes e às possibilidades que eventualmente se descortinem. A coragem, a criatividade, a busca pelo equilíbrio, o discernimento e o bom senso dos empresários estarão entre os primeiros requisitos para encontrar soluções para o enfrentamento da situação. Será inevitável pensar nos problemas, mas será imperativo focar nas soluções. Vale lembrar que a criatividade emerge nos momentos de maior necessidade, pois a crise é um poderoso motivador e nos impele a fazer escolhas que não faríamos em outras circunstâncias. O brasileiro é referência de resiliência, criatividade e gana de vencer as dificuldades.
O que há a fazer é buscar e hierarquizar estratégias factíveis – em maior ou menor grau – e acreditar que nossas empresas vão sobreviver, superar esta crise e aprender lições de superação, as quais serão muito valiosas para os passos seguintes. 
Há consenso entre os consultores quanto aos conselhos que se seguem:
Não fique paralisado. Reúna os líderes e gerentes da empresa e forme um comitê de crise. Lance mão da experiência, do repertório, da intuição empresarial, do conhecimento, da resiliência e abuse da criatividade para buscar alternativas de soluções. 
Estabeleça três cenários: o pessimista, o moderado e o otimista. Defina que ações serão tomadas, quando e como serão avaliadas, defina métricas e anteveja as possíveis correções de rumo, que certamente virão.
Foque no core business, o qual já está validado e apresenta os principais resultados. Identifique que produtos ou serviços apresentam maior relevância e aceitação, que são mais rentáveis. Foque neles e corte gastos com outros produtos que não apresentem margem positiva.
Valorize seu pessoal; ao invés de promover demissões, tente a opção das férias e até o financiamento dos salários;
Faça parcerias: conecte ideias que antes pareciam não fazer sentido, ligue os pontinhos; una-se a empresas de outro ramo ou até do mesmo; não se surpreenda em saber que empresas de sucesso aliam-se até a concorrentes. Enfim, o céu é o limite para as soluções.
Racionalize seus gastos: identifique o que é essencial para a cadeia de valor do negócio. Verifique se há despesas que não sejam essenciais ou que possam ser adiadas por alguns meses. Na medida do possível, tente compatibilizar as datas dos pagamentos a fornecedores com as dos recebíveis. A prioridade deve ser preservar caixa. Reduza seu próprio salário para dar o exemplo de impacto à sua equipe. Não fique acanhado ao renegociar os compromissos com seus fornecedores, locadores de imóveis, e credores – os bancos. O Banco do Nordeste, em particular, disponibilizou a repactuação via internet, para mitigar as dificuldades das MPE, nesse momento difícil. (saiba mais). 
Vão enfrentar melhor a crise aquelas empresas que já trabalham com estrutura adequada de e-commerce e de entrega de suas mercadorias em domicilio. Se o seu negócio ainda não está na internet e nas redes sociais, urge providenciar as condições para tal: procure estabelecer parcerias com empresas que já vêm trabalhando bem com e-commerce e com o delivery. Será necessário equacionar fatores como logística, abastecimento, comunicação, crédito e pagamentos. E caso a sua empresa seja bem pequena, vale até mesmo vender pelo telefone ou WhatsApp ou utilizar o seu próprio veículo para entregar pessoalmente. Só não vale ficar parado.
 
*Professor de Vendas, Marketing Estratégico e Estratégia Empresarial. Mestre em Avaliação de Políticas Públicas, MBA em Marketing. Graduado em Administração.